Jornal Orla Sul
Informação-integração - imparcialidade

Estudantes do Rio criam espetáculo interativo para ensinar Física

0 78

Apresentação melhorou a compreensão e despertou o interesse dos alunos para os conteúdos da disciplina

Um levantamento realizado pelo AppProva, plataforma de auxílio de estudos para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), divulgado pelo Inep entre os anos de 2009 e 2014, revela que os alunos têm mais dificuldades em ciências exatas do que nas demais disciplinas: as taxas de acerto para questões de Física, Química e Matemática estão abaixo de 30%. Essa situação também era uma realidade no Colégio Estadual Erich Walter Heine, no Rio de Janeiro (RJ), mas começou a mudar quando um professor de física reuniu estudantes do 2° e 3º ano do Ensino Médio e os convidou para pensaram, juntos, em novas formas de estudar esses conteúdos. E a solução criada pelos alunos veio por meio do “Show de Física”, um dos finalistas da 5ª edição do Desafio Criativos da Escola.

Após o questionamento do educador, os jovens se empolgaram com o desafio de pensar em formas para democratizar esse conhecimento fundamental. Concluíram que um espetáculo interativo, em que os conteúdos teóricos e práticos sobre a disciplina pudessem ser apresentados de forma multimídia, com apresentações de teatro, música, danças, chamaria a atenção da comunidade escolar.

Além das matérias exatas, os alunos incluíram nas apresentações conhecimentos sobre cientistas – mulheres e negros – que geralmente não são citados durante as aulas regulares. Na primeira “aula interativa”, os jovens professores conquistaram a atenção dos colegas: uma cama de pregos foi usada para falar sobre a aplicabilidade do conceito de pressão e experimentos interativos foram apresentados para explicar equações.

Com o sucesso e aderência das turmas, o “Show” — em atividade desde 2013 – se tornou um projeto de extensão escolar e o método já foi compartilhado em outras escolas do estado e apresentado em universidades e eventos científicos, sendo contemplado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Além de melhorar o aprendizado nas disciplinas de exatas, a iniciativa também contribui com o desenvolvimento de outras habilidades e competências, como falar em público e trabalhar em equipe, promovendo reflexões sobre novas alternativas de ensino e incentiva o combate à discriminação étnica e de gênero no meio científico.

Em breve — inscrições para o Desafio 2020
Você conhece um projeto protagonizado por crianças e jovens que está transformando a escola e a comunidade? Então, prepare-se para compartilhar: em breve começam as inscrições para a 6ª edição do Desafio Criativos da Escola. Em 2019, a premiação recebeu 1.443 projetos de todos os estados do Brasil. É possível conhecer as histórias dessas iniciativas nas redes sociais do programa e em seu site, onde também há um material de apoio ao educador que pode contribuir com a prática pedagógica dentro e fora da sala de aula.

Sobre o Instituto Alana
O Instituto Alana é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, que aposta em programas que buscam a garantia de condições para a vivência plena da infância. Criado em 1994, é mantido pelos rendimentos de um fundo patrimonial desde 2013. Tem como missão “honrar a criança”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.